top of page
  • Foto do escritorAlice Dias e Lorrane Santos

Como funciona a análise petrográfica realizada pela Cráton?


Uma análise petrográfica consiste num método de identificação mineral por meio de análises microscópicas. Os minerais são determinados a partir de propriedades físicas e ópticas observadas num microscópio petrográfico. A descrição inclui, além da mineralogia, os aspectos texturais e estruturais da rocha e sua classificação.

No ramo da Petrologia, a análise petrográfica juntamente com a análise macroscópica do litotipo permite a investigação da origem, ocorrência, estrutura e história das rochas. Em estudos mais específicos, também é possível analisar e discutir o contexto geológico.

As amostras de rocha são submetidas a laminação gerando lâminas delgadas, ou lâminas petrográficas (Figura 1), as quais são analisadas nos microscópios petrográficos. Ressalta-se que os profissionais identificam na amostra a melhor faixa amostral para a confecção dos produtos, e todos os dados obtidos das análises são apresentados num relatório técnico.

Figura 1: Mosaico de fotos lâminas delgadas. A) Lâmina petrográfica polida; B) Fotografia lâmina delgada a polarizadores paralelos exibindo cristal de biotita (Bt); C) Fotografia lâmina delgada a polarizadores paralelos exibindo cristal de piroxênio (Px) e D) Fotografia lâmina delgada a polarizadores cruzados exibindo cristal de piroxênio (Px).

Lâminas Delgadas

A produção de uma lâmina delgada é realizada, primeiramente, com o corte de uma amostra de rocha por uma serra diamantada ou laser. Em seguida, essa amostra cortada é colada numa lâmina de vidro e polida com pó abrasivo de modo progressivamente mais fino até que se atinja a espessura de 0,03 mm (30µm) da rocha.

Quando se insere essa lâmina no microscópio petrográfico, de forma que ela se posiciona entre dois filtros polarizadores ortogonais entre si, as propriedades ópticas dos minerais na lâmina alteram a cor e a intensidade da luz vista pelo observador (KEMET INTERNATIONAL, 2023). Nesse sentido, como os minerais possuem propriedades ópticas distintas, a grande maioria dos minerais são identificados.


Microscópio Petrográfico


O microscópio petrográfico, também chamado de microscópio de luz polarizada, consiste num microscópio óptico utilizado para identificar rochas e minerais em lâminas delgadas. Eles são constituídos por componentes ópticos e mecânicos (Figura 2). O sistema óptico é composto pela ocular, lente de Amici-Bertrand, analisador, objetiva, condensador móvel, diafragma íris, condensador fixo, filtro azul e polarizador. Já o sistema mecânico compreende o tubo, braço, revólver (ou sistema de sustentação das objetivas), platina, cremalheira macro e micrométrica de movimentação vertical da platina, e base (MACHADO & NARDY, 2016).

Esses microscópios também permitem a inserção de placas acessórias, como as placas de quartzo e mica, que são utilizadas para determinar o sinal de elongação dos minerais quando possível. É importante destacar que o polarizador inferior e o analisador (polarizador superior) devem estar sempre fazendo um ângulo de 90° para correta caracterização das propriedades ópticas dos minerais.

Figura 2: Microscópio Petrográfico. Fonte: Jardim Geológico.

BIBLIOGRAFIA


MACHADO, F. B. & NARDY, A. J. R. Mineralogia Óptica. Oficina de Textos, São Paulo, 2016.

JARDIM GEOLÓGICO. O microscópio petrográfico - parte 1 de número ainda por determinar, 2015. Disponível em: http://jardimgeologico.blogspot.com/2015/02/o-microscopio-petrografico-parte-1-de.html. Acesso em 25 de julho de 2023. #analisepetrografica #consultoria #microscópio





Commenti


WhatsApp icone
bottom of page