• James Jardim e Marãna Ventura

Topografia na prática - equipamentos e processos de campo



Sabemos que a topografia consiste no estudo e representação das variações do relevo em determinada área, mas como isso funciona na prática? Existem três principais tipos de levantamento topográfico: levantamento planimétrico, altimétrico e planialtimétrico.

O levantamento planimétrico registra as características do terreno em duas dimensões, enquanto o levantamento altimétrico retrata as altitudes. Já o levantamento planialtimétrico é uma união dos dois tipos anteriores, registrando o relevo de maneira completa, abrangendo suas três dimensões.

O produto do serviço topográfico caracteriza-se por uma carta topográfica e um relatório técnico. A carta possui curvas de nível como característica mais marcante, sendo essas representações lineares das variações do relevo.


Quais são os métodos e equipamentos utilizados?


Existem diferentes formas de levantar dados para construção das curvas de nível, além dos demais elementos topográficos, assim, o melhor método de posicionamento vai depender da situação e é definido pelo INCRA. Os principais são:


Estação Total


As estações totais compõem um método tradicional de levantamento, no qual a aquisição de dados pode ocorrer de duas formas:

- Nivelamento Taqueométrico: com o auxílio de um teodolito e uma mira, ângulos e distâncias são medidos para obter-se a altitude de cada ponto.

- Nivelamento Geométrico: utiliza-se um nível e duas ou mais miras, medindo diretamente a diferença de altitude entre dois pontos.

Os dados obtidos de ambas as formas são interpretados através de cálculos matemáticos que se traduzem na representação do terreno.


GNSS


É o método mais utilizado no mercado e também um dos mais modernos, simples e precisos. Consiste na utilização de receptores geodésicos GNSS (popularmente conhecidos como GPS) para levantar as coordenadas, tanto planimétricas quanto altimétricas, de vários pontos de uma área.

Aqui é utilizado o RTK (Posicionamento Cinemático em Tempo-Real, a livre tradução), um equipamento composto por duas partes, a Base e o Rover, capazes de captar instantaneamente dados de satélites. As coordenadas, então coletadas, são processadas por softwares de SIG e as curvas de nível podem ser construídas utilizando técnicas de interpolação.


Levantamento remoto


Atualmente existem tecnologias que possibilitam a construção de produtos topográficos tendo como base levantamentos feitos por imagens orbitais e softwares como Google Earth.


Etapa pré-campo


No pré-campo para o levantamento topográfico é realizado o estudo prévio da área para estabelecer o método mais adequado de posicionamento, determinar a distribuição dos pontos no terreno, conhecer a pedologia local e entre outros. Basicamente é o momento para planejar a próxima etapa, o campo.

No caso de levantamentos realizados com RTK, é necessário calcular o tempo da Base e do Rover, além da distribuição de pontos. Mapas pré-campo também são confeccionados nessa etapa. A forma como ocorrerá o campo irá depender do método que será adotado, mas independente disso, o campo seguirá as etapas estabelecidas no cronograma aqui construído.


Etapa pós-campo


A etapa do pós-campo é o momento de transformar os dados recolhidos, até então, em produtos. Em meio a isso há a confecção do mapa de curva de nível, o processamento de dados através do software Topcon Tools, elaboração do relatório técnico e do memorial descritivo.

Em projetos de topografia ainda é possível obter o ART ou Anotação de Responsabilidade Técnica, que basicamente é um amparo legal para a atividade técnica ali desenvolvida.


Se interessou sobre os nossos serviços ou gostaria de saber mais? Entre em contato conosco pela nossa aba de contato e veja a seguir nossos posts relacionados.

#topografia #rtk #gnss




WhatsApp icone