• Fernanda Rolo e Samuel Santos

6 Fatos Sobre o Pré-Sal que Você Precisa Saber



O pré-sal é uma área de reservas petrolíferas marinhas, descobertas em 2006 pela PETROBRAS, abaixo de uma profunda camada de sal, cerca de 7.000 metros abaixo do nível do mar. Localiza-se nas Bacias de Santos, Rio de Janeiro, Campos e Espírito Santo, configurando assim uma província com uma grande quantidade de óleos leves de excelente qualidade e elevado valor comercial.

A província petrolífera do pré-sal apresenta um enorme potencial para a economia brasileira, dada a alta qualidade do óleo extraído dessa região. Tais características tornam o Brasil um protagonista mundial na exploração e produção de petróleo e gás natural em ambiente de mar profundo.

Pensando na importância dessa enorme reserva, respondemos algumas perguntas frequentes sobre o pré-sal e o petróleo produzido, confira:


Como o petróleo do pré-sal foi formado?

A sequência de rochas sedimentares que formam o pré-sal foi originada há mais de 100 milhões de anos, no espaço geográfico criado pela separação dos atuais continentes americano e africano, que começou há cerca de 150 milhões de anos. Entre os dois continentes formaram-se inicialmente grandes depressões, essas que deram origem a grandes lagos. Ali foram depositadas, ao longo de milhões de anos, grandes volumes de matéria orgânica e, assim, as rochas geradoras de petróleo do pré-sal.

À medida que os continentes se distanciaram, os materiais orgânicos, então acumulados nesse novo espaço, foram sendo cobertos pelas águas do Oceano Atlântico. Dava-se início, ali, à formação de uma camada de sal que atualmente chega a 2 mil metros de espessura. Essa camada de sal depositou-se sobre a matéria orgânica acumulada, retendo-a por milhões de anos, até que processos termoquímicos transformassem a camada orgânica em hidrocarbonetos (petróleo e gás natural).


Quanto petróleo é produzido hoje?

De acordo com a Agência Nacional de Petróleo, a produção de petróleo nos campos nacionais localizados sobre o pré-sal é de aproximadamente 1,9 milhões de barris por dia ou 22 barris por segundo. Imagine, a cada segundo é produzido petróleo suficiente para encher o tanque de 20 carros. Inclusive, no tempo que você levou lendo essa curiosidade, foram produzidos quase 600 barris!


Quando o petróleo do pré-sal vai acabar?

Mesmo frente à crescente tendência global de reduzir o consumo de combustíveis fósseis e priorizar energias renováveis para frear o aquecimento global, as projeções indicam na verdade um aumento na produção de petróleo nos próximos anos.

Segundo dados de empresas reguladoras como a Empresa Brasileira de Administração de Petróleo e Gás Natural S.A. (Pré-sal Petróleo S.A – PPSA), de 2022 até 2031, a produção de petróleo na camada pré-sal brasileira deve atingir a marca de 8,2 bilhões de barris de óleo. Isso acontece porque as empresas deverão potencializar a exploração do petróleo antes da completa transição para fontes renováveis. Mesmo com essa enorme vazão, o petróleo do pré-sal ainda estaria longe de acabar por completo.


Como funcionam as plataformas de petróleo e como o óleo é extraído do pré-sal?

Para a exploração do pré-sal, existem alguns tipos de plataformas. Para poços em águas mais rasas há a fixa e a autoclavável, essas são fixadas no fundo do mar com estacas para maior estabilidade de perfuração, atingindo no máximo 300 metros de profundidade marinha.

Já para águas mais profundas, outras plataformas e navios são utilizados, por exemplo a semissubmersível, FPSO (navio), FPSO monocoluna (plataforma), TLWP e navio-sonda, todos esses se estabilizam pelo sistema de ancoragem e flutuadores submersos, porém cada um com sua devida especificidade que os torna ideais para diferentes ocasiões.

Nesse sentido, todas essas plataformas têm em comum o método de perfuração e a sísmica para encontrar o petróleo na camada do pré-sal. O método consiste em complexas sondas que chegam a 7 mil metros abaixo do fundo do mar, onde o gás e o óleo são extraídos e escoados por oleodutos e gasodutos.


Impacto econômico e desdobramento nas universidades

O setor de petróleo e gás natural é responsável pela maior parte dos investimentos na economia brasileira, participando com mais de 10% da Formação Bruta de Capital Fixo do País (BNDES, 2018), sendo em média 70% dessa produção oriunda do pré-sal. Os recursos advindos das atividades de exploração e produção (E&P) de hidrocarbonetos são fundamentais para contribuir para o desenvolvimento econômico, por meio do financiamento de projetos científicos e tecnológicos nas universidades e na própria Petrobras.


Breve história da Petrobras e como o pré sal mudou o rumo dela.

A Petrobras foi fundada em 1953, na época de Getúlio Vargas, porém apenas em 2006 o pré-sal foi descoberto e, a partir disso, novas tecnologias foram desenvolvidas para que o óleo e gás fossem extraídos, como o separador submarino de água e óleo e a bomba multifásica submarina.

Nesse sentido, o Brasil tornou-se pioneiro na exploração de petróleo em camadas profundas offshore, como o pré-sal, aumentando a produção brasileira de óleo em níveis estratosféricos, comparando a produção do país com a de países membros da OPEP, embora não haja planos de ingresso em tal organização.

Diante de todos esses fatos, o descobrimento de petróleo na camada do pré-sal em mares brasileiros, definitivamente mudou a história do país, tanto em termos econômicos como em termos de desenvolvimento de tecnologias avançadas. Sendo assim, o pré-sal tornou-se muito mais que apenas um objeto de estudo geológico e geofísico, tornou-se parte da história do país como um todo, englobando diversas áreas de estudo e possibilitando inúmeros avanços para o país.


Gostaria de ler mais textos como esse? Confira nosso blog clicando aqui.

#petroleo #craton #petrobras



WhatsApp icone